Perguntas Frequentes

Sobre os Pedágios

Como são calculadas as tarifas de pedágio?

As tarifas estão previstas no contrato de concessão e seus valores são calculados com base na Tarifa Quilométrica Básica, que estipula o preço unitário para cada quilômetro de rodovia abrangido por determinada praça de pedágio. Tal tarifa decorre de estudos dos preços dos pedágios cobrados no Estado de São Paulo quando as estradas eram administradas por órgãos da Secretaria Estadual de Transportes. Há diferença na tarifa cobrada nas estradas de pista simples e nas estradas de pista dupla. Além disso, cada praça de pedágio cobre um número definido de quilômetros, razão porque há diferença entre as tarifas de cada praça.  

 

Como são reajustadas as tarifas de pedágio?

O contrato de concessão, firmado entre a AB Colinas e o Governo do Estado de São Paulo estipula que as tarifas são reajustadas, anualmente, no dia 1º de julho. A partir de 2013, o índice de referência é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial), válido para o período de doze meses que se completa no segundo mês anterior à data base do reajuste. Cabe ao Secretário de Transportes do Estado de São Paulo autorizar o reajuste das tarifas, através de publicação dos valores no DOE - Diário Oficial do Estado de São Paulo.

 

É possível pagar pedágio com cartão de crédito?

Não. A concessionária aceita as seguintes formas de pagamento:

  • Dinheiro;
  • Vale Pedágio: exclusivo a embarcadores, transportadores e motoristas de carga das empresas credenciadas;
  • Pagamento automático: sistema eletrônico que exige a instalação de um aparelho no interior do veículo e desobriga o motorista a parar para efetuar o pagamento. Pode ser pago pelas seguintes empresas: Sem Parar, Conect Car, Auto Express e Ponto a Ponto;
  • Visa Vale Pedágio – trata-se de um cartão inteligente usado exclusivamente para pagamento de tarifa de pedágio. Esse cartão atende a Lei 10.209;
  • DBTrans – cupom desenvolvido para empresas que precisam fornecer vale-pedágio aos transportadores. O usuário pode se cadastrar pelo www.e-pedagio.com.br.

 

A quem é concedida a isenção da tarifa de pedágio?

Conforme dispõe o contrato de concessão assinado pela concessionária e o Governo do Estado de São Paulo, a isenção do pagamento de pedágio autoriza o trânsito livre para veículos, nos seguintes casos:

  • Veículos de propriedade da concessionária;
  • Veículos de propriedade da Polícia Militar Rodoviária;
  • Veículos destinados ao atendimento público de emergência: Corpo de Bombeiros e ambulâncias quando em serviço;
  • Veículos das forças militares quando em instrução ou manobra;
  • Veículos oficiais, desde que credenciados, em conjunto, pelo Poder Concedente e pela Concessionária.

 

Motos e triciclos pagam pedágio?

Na AB Colinas motos não pagam pedágio. Triciclos sim.

 

Utilitários (Kombi e Van) pagam pedágio?

Utilitários com rodagem simples pagam tarifa igual a veiculo de passeio. Utilitários com rodagem dupla pagam tarifa comercial.

 

Sinalização da rodovia

Os trechos em obras na rodovia trazem desconforto à viagem. Como é feita a sinalização destas obras?

Toda a sinalização é executada com base no Manual de Sinalização Rodoviária do DER/SP. Por se tratar de uma situação especial, é sempre recomendável aos usuários que ao trafegar por trechos em obras, tenham mais cuidado e atenção.


Como é feita a sinalização das rodovias administradas pela AB Colinas?

Uma consultoria contratada pela AB Colinas elaborou um projeto de sinalização, seguindo as diretrizes técnicas contidas no Manual de Sinalização Rodoviária publicado pelo DER/SP, que foi rigorosamente implantado após a aprovação da Artesp (Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo).

 

Serviços prestados

Se eu precisar de informações ou quiser fazer uma reclamação, como posso entrar em contato com a AB Colinas?

  • Por meio do canal de atendimento do SAC, no telefone 0800 703 5080, escolhendo a opção 3. O serviço funciona de segunda a sexta feira, das 7h às 19h;
  • Neste site, na página da Fale Conosco;
  • Enviando e-mail para sac@colinasnet.com.br;
  • Escrevendo para o endereço: Rodovia Marechal Rondon, km 112- Marginal Oeste- Jardim Oliveira- Itu/SP, CEP 13312-000.

 

Como requerer acesso às rodovias? 

A concessionária possui modelos das cartas necessárias para que os interessados requeiram acessos à rodovia. Entretanto, sua atuação é de intermediar o encaminhamento do pedido para a Artesp, que é quem autoriza a implantação do acesso. Da mesma forma, são tratadas as solicitações para ocupações da faixa de domínio e a instalação de painéis e outros meios de divulgação e publicidade em geral. Os interessados em acessos às rodovias administradas pela AB Colinas, devem entrar em contato com a área de Faixa de Domínio da concessionária para receberem as orientações necessárias, através do telefone 0800 703 5080.

 

Quando precisar de ajuda na rodovia, o que o usuário deve fazer?

Ligar para 0800 703 5080, escolher a opção 2. O atendimento é feito 24 horas por dia. O número recebe chamadas de aparelhos móveis ou fixos. O auxílio também pode ser solicitado por meio da Polícia Militar Rodoviária. A AB Colinas possui, ainda, viaturas de inspeção de tráfego que circulam 24 horas por dia pelas rodovias. O usuário deve informar sua localização (rodovia, quilômetro, ponto de referência - que pode ser um posto de serviço, restaurante ou qualquer outro estabelecimento), tipo do veículo e indicações do defeito ou ocorrência que exige a solicitação do auxílio. O acionamento também poder ser feito através dos telefones de emergência instalados a cada um quilômetro nos dois sentidos da rodovia. Esse serviço está disponível em todo o trecho administrado pela concessionária e dispensa a informação da localização por parte do usuário, pois ao acioná-lo o CCO já tem a identificação.

 

Quais os serviços de responsabilidade da concessionária?

O sistema de concessões rodoviárias prevê a execução, pela concessionária, dos chamados serviços delegados: operação de sistema integrado de supervisão e controle de tráfego, operação dos postos de pedágio, operação dos postos móveis e fixos de pesagem de veículos, prestação de apoio aos usuários no atendimento pré-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito, com eventual remoção para hospitais; atendimento mecânicos a veículos avariados; guincho; desobstrução de pista; operação de serviço de telefonia de emergência e orientação e informação aos usuários, inspeção de pista (faixa de domínio, áreas remanescentes, sinalização comum e de emergência e apoio operacional aos demais serviços), monitoração das condições de tráfego na rodovia, conservação de rotina (pavimento, drenagem, túneis, obras de artes especiais, sinalização, dispositivos de segurança rodoviária, revestimento vegetal, etc), conservação especial (recapeamento de pista, recuperação de obras de artes especiais, substituição de sinalização vertical e horizontal, etc).

 

Como funciona o serviço de guincho e socorro mecânico da AB Colinas?

De acordo com o edital de licitação, a concessionária deve manter serviço de ajuda aos usuários cujos veículos que apresentam problemas mecânicos ou elétricos na rodovia, e tirá-los da faixa de rolamento ou acostamento, que é um local destinado a emergências, removendo o veículo até o local seguro e mais próximo, como uma área de refúgio ou um posto de combustível. Desta forma, o usuário poderá procurar meios para solucionar o problema do veículo com mais segurança e tranquilidade, liberando a viatura (guincho ou inspeção de tráfego) para voltar ao trecho e atender outros usuários que eventualmente precisem de auxílio. 

 

Limites de Velocidade

Qual o limite de velocidade no trecho da AB Colinas?

A velocidade máxima permitida de tráfego nas rodovias é definida pela Portaria SUP/DER 171 de 26 de abril de 1999 e varia de acordo com as características geométricas da via. Leva-se em conta, ainda, suas peculiaridades, tais como perímetro urbano, restrições na pista e área com incidência de neblina. No trecho administrado pela AB Colinas, os limites de velocidades variam conforme segue:

  • SP-075 (Rodovias Deputado Archimedes Lammoglia, Prefeito Hélio Steffen, Engº Ermênio de Oliveira Penteado e Santos Dumont) - apresenta limite máximo de velocidade variável de 40 km/h a 110 km/h.
  • SP-127 (Rodovias Fausto Santomauro, Cornélio Pires e Antonio Romano Schincariol) - apresenta limite máximo de velocidade variável de 40 km/h a 100 km/h.
  • SP-280 (Rodovia Pres. Castello Branco) - apresenta limite máximo de velocidade variável de 40 km/h de 120 km/h.
  • SP-300 (Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto e Via Rondon) - apresenta limite máximo de velocidade variável de 40 km/h a 100 km/h.

 

Concessão Rodoviária

Quem fiscaliza o trabalho da concessionária?

A Artesp (Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo). Ela tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços públicos de transporte autorizados, permitidos ou concedidos, no âmbito da Secretaria dos Transportes do Estado de São Paulo.

 

Em que a concessão difere da privatização?

Na privatização, o Estado transfere para a iniciativa privada o controle do negócio, o patrimônio da empresa ou órgão estatal, deixando de ter qualquer ingerência sobre o que está sendo privatizado. O Estado continua responsável pelas normas disciplinadoras. 

Na concessão, o Estado transfere a administração do negócio para iniciativa privada, estabelece um prazo para término da concessão e define a forma em que a iniciativa privada deve trabalhar: serviços, responsabilidades, condições, cronograma de realização, normas e regulamentos que devem ser seguidos, preços, formas de cobrança, etc. 

Nem todos os serviços são transferidos para a iniciativa privada e o Estado continua com total autoridade sobre o empreendimento. Além disso, mantém severa fiscalização sobre o trabalho da concessionária.

Ao final do prazo, a concessionária devolve ao Estado todos os bens reversíveis, direitos e privilégios vinculados à exploração, no caso da AB Colinas, do sistema rodoviário, inclusive o que for por ela implantado.

 

Qual é o prazo de concessão da AB Colinas?

O contrato de concessão da AB Colinas é de 20 anos, sendo que o início de operação se deu em 03 de março de 2000. No entanto, através do Termo Aditivo Modificativo n° 19, celebrado entre a Artesp e a concessionária, ficou estabelecido que o prazo da concessão seria de 28 anos (340 meses).

 

Quais são os trechos administrados pela AB Colinas?

SP-075

  • Rodovia Deputado Archimedes Lammoglia / Rodovia Prefeito Hélio Steffen / Rodovia Eng.º Ermênio de Oliveira Penteado / Rodovia Santos Dumont - entre Itu e Campinas (do km 15 ao km 77+600)

SP-127

  • Rodovia Fausto Santomauro / Rodovia Cornélio Pires / Rodovia Antônio Romano Schincariol - entre Rio Claro e Tatuí (do km 0 ao km 105+900)

SP-280

  • Rodovia Presidente Castello Branco - entre Itu e Tatuí (do km 79+380 ao km 129+600)

SP-300

  • Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto / Rodovia Marechal Rondon - entre Jundiaí e Tietê (do km 64+600 ao km 158+650)

SPI-102/300

  • Rodovia Eng.º Herculano de Godoy Passos - em Itu (do km 0 ao km 7+900)