19 de agosto: Dia Estadual de Prevenção a Acidentes de Trânsito

Friday, August 18, 2017


A Lei nº 14.682, de 29 de dezembro de 2011, instituiu o dia 19 de agosto como o “Dia Estadual de Prevenção a Acidentes de Trânsito”. Por meio dessa lei, o Poder Executivo foi autorizado a criar, anualmente, campanhas de publicidade, de esclarecimento, de informações e de prevenção a acidentes de trânsito no Estado de São Paulo.

Independentemente dessa data, órgãos do poder público e sociedade civil organizada tem realizado inúmeras atividades educativas e de conscientização durante o ano, visando chamar a atenção dos atores do trânsito (pedestres, ciclistas, motociclistas, caminhoneiros e motoristas em geral) para o resultado de suas escolhas. Exemplos dessas iniciativas são o Movimento Maio Amarelo, a Semana Nacional de Trânsito (de 18 a 25 de setembro), a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), dentre outras.

Apesar da união de esforços e do intenso trabalho realizado junto à população para a diminuição do número de acidentes e vítimas, ainda não há mudanças substanciais acontecendo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o quarto colocado em número de mortes nas Américas, totalizando 47 mil óbitos no trânsito por ano, atrás apenas de República Dominicana, Belize e Venezuela. Outro dado alarmante é o que se refere ao comportamento dos atores do trânsito: 94% das ocorrências com morte no Estado de São Paulo são resultantes de falhas humanas, segundo levantamento do governo estadual.

Por esse motivo, com informações do Portal do Trânsito, a AB Colinas divulga recomendações importantes para o condutor cuidar de si próprio e dos demais nas vias, evitando distração, imprudência e desrespeito às regras.

- Uso do cinto de segurança

O uso do cinto de segurança é obrigatório e fundamental para a segurança. Ao entrar no carro é preciso colocar o cinto e lembrar os passageiros que eles também devem usá-lo. As estatísticas mostram que uma pessoa que é ejetada em caso de acidente tem cinco vezes mais chances de morrer do que quem não é.

- Respeitar limites de velocidade

O limite de velocidade de uma via não é definido por acaso. Vários elementos são levados em consideração para se definir até quanto um veículo pode transitar naquela via. Por esse motivo, respeitar os limites de velocidade é um ponto crucial para se evitar ou diminuir os danos em caso de acidente. O Código de Trânsito Brasileiro estabelece um limite de velocidade para cada tipo de via, mas é importante prestar atenção na sinalização da via.
No Brasil, os limites de velocidade estabelecidos são: 30 Km/h nas vias locais, 40 Km/h nas vias coletoras, 60 Km/h nas vias arteriais e 80 Km/h nas vias de trânsito rápido. Em rodovias de pista dupla, 110 Km/h para automóveis, camionetas e motocicletas e 90 Km/h para os demais veículos. Já nas rodovias de pista simples 100 Km/h para automóveis, camionetas e motocicletas e 90 Km/h para os demais veículos.

- Distância de segurança do veículo da frente

A distância segura depende principalmente da velocidade que se está trafegando – quanto maior a velocidade, maior deverá ser a distância de segurança. Também deve-se aumentar a distância se houver fatores adversos como pista mal pavimentada, esburacada ou molhada, situações de baixa visibilidade como chuva e neblina, e ainda ser levada em consideração as condições do veículo como eficiência dos freios e conservação dos pneus.

- Celular X direção

Usar o telefone celular enquanto está dirigindo é mais do que uma infração, é um perigo que as pessoas não dão a devida importância. Atender ao telefone, fazer uma ligação, enviar uma mensagem e utilizar redes sociais pode aumentar em até 400% a chance de acidente. Além de tirar as mãos do volante, a distração é a maior causa de mortes nesses casos.

- Álcool no trânsito

Beber e dirigir é um crime de trânsito. Independentemente da quantidade de álcool ingerida, os reflexos não são os mesmos, há diminuição da coordenação motora, o raciocínio fica mais lento, o condutor pode perder o espírito crítico e perder a capacidade de julgamento. Se beber, o melhor é pegar um táxi ou uma carona.

- Manutenção preventiva do veículo

O condutor deve estar sempre atento às condições do veículo. Verificar sempre, pneus, freios, nível de óleo e água, além das luzes. Além de importante para a segurança, a manutenção preventiva é mais econômica, porque geralmente evita que os problemas se agravem. A melhor maneira de realizá-la é seguir as recomendações do manual do veículo.

- Atenção à sinalização

Conhecer e respeitar a sinalização de trânsito é uma regra básica de segurança. Desobedecer às placas pode não só resultar em multas, mas em acidentes.

- Uso das luzes do veículo

No Estado de São Paulo, mesmo não sendo obrigatório na cidade, o uso de luz baixa durante o dia pode evitar acidentes, pois torna os veículos mais visíveis. Na rodovia, acender os faróis também durante o dia, além de ser aconselhável, é obrigatório em todo país pela Lei nº 13.290/2016.

- Triângulo de sinalização

Muitas pessoas ignoram o uso do triângulo, mas é muito importante sinalizar a via se ocorrer algum problema com o veículo. Segundo a Resolução 36/98 do Contram, a distância mínima para sinalização em uma emergência é de 30 metros da parte traseira do veículo.

- Transporte de crianças

Menores de 10 anos devem ser transportados sempre no banco traseiro. Além de estar no banco de trás, a criança deve usar cinto de segurança e o sistema de retenção de acordo com sua idade, peso e altura. Crianças com até um ano de idade deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “bebê conforto”; com idade superior a um ano e inferior ou igual a quatro anos deverão utilizar, obrigatoriamente, o dispositivo de retenção denominado “cadeirinha”, já as crianças com idade superior a quatro anos e inferior ou igual a sete anos e meio deverão utilizar o dispositivo de retenção denominado “assento de elevação”.